22/05/2020

Cabo Verde e a CEDEAO

Sobre isto, o que há a dizer é que numa conversa com José Vicente Lopes, em 2014, Onésimo Silveira contava episódios de gentes tanto do PAICV como do MPD, ambos com responsabilidades políticas, que diziam publicamente que Cabo Verde não tinha nada a ganhar com a CEDEAO. Retorquía com o seguinte: "Cabo Verde só tem valor para a Europa enquanto formos uma plataforma de penetração dos países da CEDEAO. A Europa exige a nossa presença na CEDEAO para fazer progredir o nosso acordo com a UE. Enquanto não tivermos uma relação sólida, multifacetada, com a CEDEAO, a Europa não nos vai abrir as suas portas".  

[Foto: Namsa Leuba, 2015]