28/04/2020

Nós e o neoliberalismo

O neoliberalismo, enquanto projecto económico, é considerado como uma expressão radical do capitalismo que entende que o mercado tem sempre razão, que regulamentar é sempre errado, que a iniciativa privada é boa e a pública é má e que não há nada pior do que impostos para sustentar serviços públicos. Assim, na sua visão do mundo, os governos existem para criar as condições óptimas para que os interesses privados maximizem os seus lucros e riqueza, com base na ideia de que os lucros e o crescimento económico decorrentes acabarão (um dia) por beneficiar toda a gente, escorrendo do topo para a base.

Enquanto projecto ideológico, acredita, com base na fé cristã, que com isto se consegue almejar a justiça social e resolver os problemas das desigualdades sociais. Contudo, se isso não acontecer e os problemas persistirem teimosamente (que é o que tem acontecido sempre), as falhas só podem se dever a uma suposta causalidade externa ou estar nos indivíduos e comunidades. Ou por causa de uma situação de calamidade pública ou porque terão uma cultura do crime ou porque lhes falta uma ética de trabalho ou talvez se deva a pais ausentes ou qualquer outra desculpa com base numa suposta cultura ou "raça" inferior para justificar que políticas e fundos públicos jamais sejam utilizados para reduzir desigualdades, melhorar vidas ou fazer fase a crises estruturais. A incapacidade do sector privado em substituir, em alguns sectores estruturantes, um estado demissionário é completamente ignorado.      

É uma receita que tem sido aplicada em toda a parte, independentemente do contexto, da história ou das esperanças e sonhos das pessoas e convém ter em conta que em Cabo Verde é adoptado enquanto modelo económico nos finais dos anos de 1980 e enquanto modelo ideológico a partir dos anos de 1990. No entanto, a nível global, tem-se observado a sua parte perversa e oculta, em que indivíduos e grupos de sociabilidade tem utilizado a sua retórica para, através dela, capturar o estado por via dos partidos políticos para fins de enriquecimento pessoal, familiar ou corporativo.    

[Imagem: Blu, 2012]