17/09/2016

Da promoção da imbecilidade intelectual

Que em Cabo Verde as instituições do ensino superior são geridas como que se do quintal do chefe e equipa dirigente se trata não é novidade. Que na Universidade de Cabo Verde, a rídicula política de criação e gestão dos cursos visa tão somente garantir horas ao corpo docente da casa e barrar a entrada de corpos estranhos à coorporação é pública. O que me espanta é como que um Professor Doutor cabo-verdiano, com melhor currículo que a esmagadora maioria dos docentes que ali vegetam, ex-professor universitário e pesquisador nos EUA com uma extensa rede de grupos de pesquisa no nosso continente é dado nota zero na sua área científica, naquela coisa bastante duvidosa que insistem em chamar de concurso. A continuar assim, a tal conversa de excelência, rigor etc e tal do ensino superior cá da casa já nem ao inglés conseguirá enganar.

[Imagem de Caras Ionut]