09/06/2016

Sociedade de cunhas... parte II

Pouco mais de um ano depois de escrever esta posta, para lá da suposta descida da taxa do desemprego e do subemprego e afins em 2015, o que realmente me interessa são as informações relativas aos modos de procura de emprego em Cabo Verde. Dos inquiridos, 92,2% declararam ter solicitado directamente ao empregador e 80,8% responderam terem procurado junto de amigos, familiares, etc... (que também inclui, como é evidente, os partidos políticos). Apenas 12,3% conseguiram o emprego através de participação em concursos (ver aqui). A estatística, não obstante ser facilmente manipulável por motivos políticos etc e tal, é uma interessante ferramenta de análise para quem realmente a sabe ler de forma contextualizada... e então poderemos falar da ligação disto com aquela coisa a que chamo de segregação das oportunidades e do seu peso na reprodução das desigualdades sociais em Cabo Verde.