15/04/2016

Da série "eu também quero ser homenageado e um tacho"

Na ora di bai, Zemas confessa que afinal não é o tal homem das impossibilidades. No entanto, vai ocupar o lugar na Universidade de Cabo Verde, que indirectamente ofereceu a si próprio. Sobre Tó, o Correia e Silva, há rumores que vai acampar para os lados da UNESCO, na cidade das luzes, depois de ter participado na tentativa de assassinato das Ciências Sociais e Humanas da terra, enquanto Ministro do Ensino Superior e das Ciências. Na hora das auto-homenagens, uns mais merecedores que outros, o ainda Primeiro-Ministro e ex-quase candidato a Presidente da República foi recentemente homenageado por uma ainda sua Instituição como o mondon que transformou a República numa espécie de quintal privado, não obstante o excelente primeiro mandato. 

[Na imagem Scull de Jean-Michel Basquiat, 1981]