04/01/2016

Irony of the negro policeman

A forma agressiva como esta reportagem foi recebida nas Hespérides crioulas, percebida por alguns como uma ofensa à ideia da cabo-verdianidade ou qualquer coisa parecida, só vem provar que, de facto, o assunto é tabu... e olhar o país da Praia Shopping Center (herdeiro natural da função social da manutenção do status quo do extinto Espaço K), para lá de ser também uma forma da reprodução da história única, cria uma ideia desfasada da realidade.

Adenda: e comungo da opinião de que a reportagem tem a mestria de desconstruir a excepcionalidade de Cabo Verde.
  
[Na imagem Irony Of The Negro Policeman by Jean-Michel Basquiat, 1981]