21/11/2015

Das continuidades coloniais...

Resquícios coloniais é quando, 40 anos depois das independências das ex-colónias portuguesas em África, numa conferência alusiva ao tema, organizado em Lisboa (subentende-se Metrópole), ouvir de um ex-embaixador do Brasil na CPLP, que os países pertencentes aos ditos Palop's são primitivos em matéria de democracia e direitos humanos (logo o Brasil cuja visão dos pobres, negros, mulheres e homossexuais é bem primitiva, sem falar da sua direita saudosista da ditadura militar). Mas, o maior dos cúmulos, é saber que esta é também a visão dos nossos poetas-pensadores (e de seus lacaios transformados em macacos e papagaios), pertencentes à corte de ensaístas, estes impostores transvestidos a intelectuais totais, vivendo como parasitas semiplagiadores dos trabalhos dos outros, praticando um tipo de filosofia sem sujeito, completamente distanciado da realidade social.

[Na imagem chegada da Coroa portuguesa ao Brasil. Autor desconhecido]