03/11/2015

Da série "o consenso é uma treta e seu promotor uma fraude"

Escreveu Ibn Khaldun, no século catorze, que um ciclo político fecha quando o luxo conseguido com a prosperidade de um povo desencadeia a corrupção e a decadência. Esta afirmação, dita quatro séculos antes das (re)elaborações teóricas dos chamados pais das ciências sociais, é hoje bem visível e sentida nas ilhas. O tal do "Fundão" é apenas uma pequena ilustração do "regabofe institucional" (também bem presente nas gestões camarárias) cabo-verdiano, conseguido graças à política de avestruz das instâncias internacionais com sede nesta nação gentrificada (segundo a perspectiva teórica de Pedro Marcelino). Como resultado, uma grande parte dos cabo-verdianos, sobretudo jovens, "querem ficar mas têm de partir"...         

[Na imagem slogan de campanha do MPD/2011, Mosteiros. Foto de RWL]