03/08/2015

Da dessincronização do país

Hoje, em conversa com um amigo, ficou patente que enquanto Zemas faz o discurso de transformação na inauguração do Data Center da Achada Grande Frente, na Escola Básica do Lavadouro a degradação é marca registada, a ELECTRA não tem capacidade sequer de colocar um contador de electricidade num apartamento e os TACV é aquela lenga-lenga de sempre. O que fica é que daqui a uns 10 ou 15 anos, quando se falar de criminalidade organizada, tanto a situação como a oposição hão-de se lembrar do dia em que estenderam o tapete vermelho a uma das máfias mais perigosas do mundo.

[Na imagem parte da obra Mind Devour de Sebastian Eriksson, 2011]