30/07/2015

Do optimismo trágico... parte II

Em Janeiro de 2015 a arquitecta Andréia Mossab esteve no extinto Ciclo de Seminários de Investigação, no ISCJS, e o assunto do Djéu surgiu como mais um exemplo de aberrações megalómanas apresentadas naquele que um dia foi sonhado como o Japão de África.

Sobre o casino em si, experiências outras mostram que será direccionado para as excentricidades dos endinheirados asiáticos e europeus e mais um espaço de masturbação simbólica para a classe dos novíssimos ricos cabo-verdianos. Igualmente mostram que existe fortes probabilidades de este vir a ser mais uma lavandaria do crime organizado internacional. Mas sobre este assunto recomendo a leitura de, entre outros, Lydia Cacho e Misha Glenny.

Por detrás da oportunidade de criação de mais subempregos e do glamour da maquete em riba, o certo é que relatórios do tipo, em matéria de escravatura laboral e sexual, no futuro, será bem mais duro para Cabo Verde (ler a partir da página 109). Em relação ao pessoal que agora despertou, mais "désobéissance civile" se faz favor e atenção que esta posta foi escrita já lá vai quase dois meses.

Adenda: Espaço Público da RCV, em Fevereiro último.

[Na imagem maquete do projecto do senhor Chow roubado algures no facebook]

22/07/2015

Artigos publicados na Africa Media Review e CEI-IUL

Publicado na Africa Media Review o artigo "As questões dos Direitos Humanos na imprensa escrita cabo-verdiana entre 2008 e 2009: os casos dos jornais A Semana e Expresso das Ilhas", escrito em 2011, complemento deste outro, produzidos a partir do projecto de pesquisa comparativa sobre a cobertura das questões dos Direitos Humanos pela imprensa escrita em Moçambique, Angola, Guiné Bissau e Cabo Verde, financiado pelo CODESRIA, entre 2011 e 2012. No mesmo dia em que o CEI-IUL publica o ebook "Media freedom and right to information in Africa", editado por Luca Bussotti, Miguel de Barros e Tilo Grätz, contendo o artigo "A imprensa escrita e a cobertura dos conflitos entre gangues de rua em Cabo Verde", base da minha apresentação no 5th European Conference on African Studies, em 2013, em Lisboa.      

[Na imagem capa do ebook Media Freedom and Right to Information in Africa, 2015]

20/07/2015

Sobre as formas de corrupção.cv

No DL do último sábado alguém questionou se o financiamento público do Ministério da Juventude e das outras coisas às ONG's e associações comunitárias, baseados em critérios sem nenhuma transparência, não é uma forma de corrupção. Evidentemente que é, ainda mais quando se sabe que as instituições ditas de sociedade civil beneficiadas tendem a votar amarelo. Igualmente, corrupção é uma empresa com objectivos privados, utilizar guardas municipais pagos pelo nosso bolso, na fiscalização e cobrança de multas no seu Parque de Estacionamento.        

[Na imagem 'Marcha Primeiro de Maio'. Foto de José Ferreira, 2015]

12/07/2015

Do optimismo trágico

Em 2009 também estávamos preparados e hoje é aquilo que se sabe... e sobre a construção deste empreendimento, convém ter-se em consideração o resultado da soma casinos, ilhas turísticas e empresários asiáticos (e aqui entra as tríadas chinesas) descrito pela litertura especializada... por enquanto, temos o Guinness World Record da cachupa... daqui a uns anos a malta estará interessada em ler "Escravas do Poder" de Lydia Cacho e os mais destemidos dissertarão sobre a tese nexos político-criminais de Misha Glenny.    

[Imagem de Banksy]

01/07/2015

Este post também tem a ver com a cena dos 40 anos da continuidade colonial

Diz o Lonely Planet que o crime violento está em crescimento na Praia e alerta aos turistas a terem cuidado no Mindelo. No entanto, o Foreigh & Commonwealth Office atribui Cabo Verde com um baixo risco de atentado terrorista mas alerta os britânicos sobre os roubos nas ilhas. Provavelmente alguém do executivo virá com o discurso disto ser obra dos concorrentes no sector turístico (como fizeram depois da reportagem da TV francesa no ano passado) e o senhor da PN do Mindelo virá com a conversa de que os dados estatísticos a seu dispor dizem outra coisa.

Sobre o enquadramento teórico da delinquência colectiva em Cabo Verde, o artigo "Gangues, novíssimas guerras e (sub)cultura da violência/delinquência" poderá servir de introdução ao debate. 

[Na imagem primeira página do Expresso das Ilhas de hoje]