30/03/2015

A rua é e sempre foi dos street soldjas

Os protestos sempre foram inflitrados por oportunistas com agendas ocultas e em Cabo Verde houve a tentativa de partidarizar e criminalizar o de 1994. Contudo, não é por isso que não se sai à rua, desde que se tenha um projecto bem definido. Não o tendo, há que se ocupar o espaço rua ao estilo do "Occupy Wall Street" e construir em colectivo alternativas, evitando ao máximo que a coisa se torne swag ou em mais uma ejaculação social prococe.

E já agora, para lá do ser contra os Estatutos dos Titulares de Cargos Políticos e a favor do veto presidencial, há que se protestar igualmente contra o pornográfico salário dos gestores públicos e coordenadores dos projectos sem prova dada, a segregação das oportunidades e a uma espécie de exploração juvenil na Administração Pública em formato de estágios profissionais, entre muitas outras causas do nosso quotidiano.

Estando nós numa era pós-ideológica, um aporte teórico-empírico sobre as agendas políticas ocultas em Cabo Verde.

[Na imagem o A Semana de 18 de Abril de 1994]