20/01/2015

Da MK 20 J '10 à Marxa Cabral '15

Decorria o ano de 2010, quando o jovem artista e activista Dudú Rodrigues, com então 21 anos de idade, líder da Associação DjuntArti, movido pelo espírito empreendedor e inovador, antes desses chavões entrarem na agenda pública nacional, organizou a primeira manifestação cultural informal em homenagem a Amílcar Cabral, que veria a ser o embrião da Marxa Cabral continuada pelo movimento Korrenti Ativizta.

Tenho para mim que num dia como hoje, longe dos discursos oficiais carregados de hipocrisia, é nossa obrigação prestar tributo aos jovens heróis que continuaram o seu legado. Concordando com Kaya, LBC e Chullage, Cabral somos todos nós... vídeo das reuniões de preparação da primeira Marxa aqui, clip da marcha aqui e espectáculos de rap, b-boy, graffiti e teatro na Praça Alexandre Albuquerque, Plateau aqui.

Rap kriol(u): o pan-africanismo de Cabral na música de intervenção juvenil na Guiné-Bissau e em Cabo-Verde

[Na imagem panfleto de mobilização da "Manifestason Kultural 20 J", 2010]